A- A A+

facebookrss

Sessão Final | 25 de Setembro de 2014

Escola Secundária Fernão Mendes Pinto (Almada) | Turma 12º6
Sessão Temática sobre Avaliação da actividade "Memórias Escondidas"
Com Ana Cansado, Cristina Pires e Luísa Rego

Em sessão de balanço, a equipa do Projecto Quebrar Barreiras reuniu com a turma que no ano transacto, enquanto turma 11º6, trabalhou com o Projecto Quebrar Barreiras – Envelhecer Segundo uma Perspectiva de Igualdade de Género na actividade Memórias Escondidas.

Globalmente, mesmo com o tempo que mediou entretanto, a turma manifestou que a actividade foi "gratificante", relevando o facto de através dela ter havido uma maior consciencialização para as desigualdades de género, os efeitos da educação nos papéis sociais assumidos pelas pessoas de gerações mais velhas, bem como para a necessidade de relativizarem "coisas insignificantes". Uma aluna sublinhou mesmo o facto de a recolha de histórias de vida lhes ter dado um conhecimento que "vai para além da escola" e outra destaca, ainda, o facto de "poder ver as coisas pela perspectiva de pessoas que viveram outros tempos".

O facto de terem ouvido "as histórias directamente das pessoas que as viveram" permitiu "uma maior sensibilização e percepção" às/aos alunas/os. Foi também sublinhada a ideia de grandes diferenças entre o antes e o pós-25 de abril, no que à vida das mulheres diz respeito. Sublinham ter "compreendido melhor as diferenças de educação que originaram "discriminação de género entre homens e mulheres". A utilidade desta actividade para a matéria lectiva da disciplina de História, sobre a época do Estado Novo, foi também valorizada pelas discentes. Outras/os porém referem que haveria maior utilidade de realizar esta actividade com turmas do 12º ano directamente ligadas à vertente de comunicação/jornalismo.

Como aspectos menos positivos no decorrer do trabalho, foi referido o facto de se tratar de uma experiência pioneira, alguma dificuldade em obter fotos, a dureza do trabalho de transcrição do som para texto a editar, alguma descoordenação entre os membros das equipas (estudantes, equipa discente, equipa do projecto e instituições parceiras), e ainda dificuldades de comunicação com a pessoa idosa que dava o seu testemunho, pela perda de memória, dispersão, lentidão e hesitações de algumas/ns entrevistadas/os. É dito ainda que, em alguns casos, foi difícil entrevistar uma pessoa idosa do sexo oposto, por alguma inibição dela.

Várias/os estudantes referem ainda que a actividade Memórias Escondidas foi "muito útil". Alguém diz: "nunca tinha abordado a fundo tanta informação vivida e sentida por alguém que realmente passou pelos factos". Na generalidade, as/os alunas/alunos sugerem que o Projecto Quebrar Barreiras deveria ser desenvolvido também "noutras turmas e noutras escolas", pois, no geral, "ainda existe muito desconhecimento em relação às desigualdades e discriminação de género por parte da sociedade, especialmente os jovens, (...) e este projecto é uma chamada de atenção e consciencialização". Uma aluna referiu que gostaria de ver abordada a questão da violência doméstica.

Diagnóstico

Newsletter - Janeiro - Junho 2014

Cartaz Grita UMAR

Logos--Cig-Poph-Qren-Port-FSE